SciELO - Scientific Electronic Library Online

SciELO - Scientific Electronic Library Online

Article References

PEDUZZI, Marina et al. Educational activities for primary healthcare workers: "educação permanente em saúde" and continuing education concepts in the day-to-day routine of primary healthcare units in São Paulo. Interface (Botucatu) [online]. 2010, vol.5Selected edition, pp. 0-0. ISSN 1414-3283.

    ARMITAGE, P.; BERRY, G. Statistical methods in medical research. Oxford: Blackwell, 1994. [ Links ]

    BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n 1.996/GM, de 20 de agosto de 2007. Dispõe sobre as diretrizes para a implementação da política nacional de educação permanente em saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 22 ago. 2007. Seção 1. [ Links ]

    _____. Portaria n 399/GM, de 22 de fevereiro de 2006. Divulga o Pacto pela Saúde 2006 - Consolidação do SUS e aprova as diretrizes operacionais do referido pacto. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 22 fev. 2006. [ Links ]

    _____. Política de educação e desenvolvimento para o SUS: caminhos para a educação permanente em saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2004a. [ Links ]

    _____. Portaria N 198/GM, de 13 de fevereiro de 2004. Institui a Política nacional de Educação Permanente em Saúde como estratégia do Sistema Único de Saúde para a formação e o desenvolvimento de trabalhadores para o setor e dá outras providências. Brasília: Ministério da Saúde, 2004b. [ Links ]

    CAMPOS, G.W.S. Saúde paidéia. São Paulo: Hucitec, 2002. (Saúde em Debate). [ Links ]

    CECCIM, R.B. Onde se lê "recursos humanos em saúde", leia-se "coletivos organizados de produção em saúde. Desafios para a educação. In: PInHEIRO, R.; MATTOS R.A. (Orgs.). Construção social da demanda: direito à saúde, trabalho em equipe, participação e espaços públicos. Rio de Janeiro: Cepesc, 2005a. p.161-80. [ Links ]

    CECCIM, R.B. Educação permanente em saúde: desafio ambicioso e necessário. Interface -Comunic., Saude, Educ., v.9, n.16, p.161-77, 2005b. [ Links ]

    _____. Educação permanente em saúde: descentralização e disseminação de capacidade pedagógica na saúde. Cienc. Saude Colet., v.10, n.4, p.975-86, 2005c. [ Links ]

    CECCIM, R.B.; FEUERWERKER, L.C.M. O quadrilátero da formação para a área da saúde: ensino, gestão, atenção e controle social. Physis, v.14, n.1, p.41-65, 2004. [ Links ]

    CORTES, S.M.v. Construindo a possibilidade da participação dos usuários: conselhos e conferências no Sistema Único de Saúde. Sociologias, v.4, n.7, p.18-49, 2002. [ Links ]

    CREVELIM, M.A.; PEDUZZI, M. Participação da comunidade na equipe de saúde da família: é possível estabelecer um projeto comum entre trabalhadores e usuários? Cienc. Saude Colet., v.10, n.2, p.323-31, 2005 . [ Links ]

    DAVINI, M.C.; NERVI, L.; ROSCHKE M.A. Capacitación del personal de los servicios de salud: proyectos relacionados con los procesos de reforma sectorial. Ecuador: OPS/OMS, 2002. (Serie Observatorio de Recursos Humanos de Salud, 3). [ Links ]

    FARIA, R.M.B. Institucionalização da política de educação permanente para o Sistema Único de Saúde: Brasil, 1997-2006. 2008. Tese (Doutorado) - Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo, São Paulo. 2008. [ Links ]

    HADDAD, J.; ROSCHKE, M.A.C.; DAvInI, M.C. Educación permanente de personal de salud. Washington: Organización Panamericana da la Salud, 1994. (Serie Desarrollo de Recursos Humanos en Salud, 1000). [ Links ]

    KLEBA, M.E.; COMERLATTO, D.; COLLISELLI, L. Promoção do empoderamento com conselhos gestores de um pólo de educação permanente em saúde. Texto Contexto - Enferm., v.16, n.2, p.335-42, 2007. [ Links ]

    MATTOS, R.A. A integralidade na prática (ou sobre a prática da integralidade). Cad. Saude Publica, v.20, n.5, p.1411-6, 2004. [ Links ]

    _____. Integralidade e a formulação de políticas específicas de saúde. In: PINHEIRO, R.; MATTOS R.A. (Orgs.). Construção da integralidade: cotidianos, saberes e práticas em saúde. Rio de Janeiro: Abrasco, 2003. p.45-58. [ Links ]

    MERHY, E.E.; FEUERWERKER, L.C.M.; CECCIM, R.B. Educación permanente em salud: uma estratégia para intervir em la micropolítica del trabajo en salud. Salud Colectiva, v.2, n.2, p.147-60, 2006. [ Links ]

    ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE - OMS. Trabalhando juntos pela saúde: relatório mundial de saúde 2006. Brasília: Ministério da Saúde, 2007. (Série B, Textos Básicos de Saúde). [ Links ]

    PAIM, J.S. Saúde: política e reforma sanitária. Salvador: Ed. ISC-CEPS, 2002. [ Links ]

    PEDROSO, V.G. Aspectos conceituais sobre educação continuada e educação permanente em saúde. Mundo Saúde, v.29, n.1, p.88-93, 2005. [ Links ]

    PEDUZZI, M. Trabalho de equipe de saúde na perspectiva de gerentes de serviços de saúde: possibilidades da prática comunicativa orientada pelas necessidades de saúde dos usuários e da população. 2007a. Tese (Livre-Docência) - Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, São Paulo. 2007a. [ Links ]

    _____. (Coord.). Análise dos processos educativos de trabalhadores e equipes de saúde e de enfermagem: características, levantamento de necessidades e resultados esperados [relatório de pesquisa na Internet]. São Paulo: Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, 2007b. Disponível em: <http://www.ee.usp.br/observatorio/observatorio/relatórios/re1092.pdf>. Acesso em: 15 out. 2008. [ Links ]

    PEDUZZI, M. et al. Qualidade no desempenho de técnicas dos trabalhadores de enfermagem de nível médio. Rev. Saude Publica, v.40. n.5, p.843-50, 2006. [ Links ]

    PEDUZZI, M. Equipe multiprofissional de saúde. Rev. Saude Publica, v.35, n.1, p.103-9, 2001. [ Links ]

    PEREIRA, J.C.R. Análise de dados quantitativos. São Paulo: Edusp, 1999. [ Links ]

    PERES, H.H.C.; LEITE, M.M.J.; GONÇALVES, v.L.M. Educação continuada: recrutamento e seleção, treinamento e desenvolvimento e avaliação de desempenho profissional. In: KURCGAnT, P. (Coord.). Gerenciamento em enfermagem: trabalho em equipe e processo grupal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. p.138-56. [ Links ]

    SAUPE, R.; CUTOLO, L.R.A.; SANDRI, J.v.A. Construção de descritores para o processo de educação permanente em atenção básica. Trab. Educ. Saude, v.5, n.3, p.433-52, 2008. [ Links ]

    SCHRAIBER, L.B.; MENDES-GONÇALVES, R.B. necessidade de saúde e atenção primária. In: SCHRAIBER, L.B.; NEMES, M.I.B.; MENDES-GONÇALVES, R.B. (Orgs.). Saúde do adulto: programa e ações na unidade básica. São Paulo: Hucitec, 1996. p.29-47. (Coleção Saúde em Debate). [ Links ]

    SILVA, J.A.M.; OGATA, MN.; MACHADO, M.L.T. Capacitação dos trabalhadores de saúde na atenção básica: impactos e perspectivas. Rev. Eletrônica Enferm., v.9, n.2, p.389-401, 2007. Disponível em: <http://www.fen.ufg.br/revista/v9/n2/v9n2a08.htm>. Acesso em: 10 nov. 2008. [ Links ]

    SOUZA, A.M.A. et al. Processo educativo nos serviço de saúde. In: SAnTAnA, J.P.; CASTRO, J.L. (Orgs.). Capacitação e desenvolvimento de recursos humanos de saúde - CADRHU. Brasília: Ministério da Saúde/Organização Pan-Americana da Saúde/ Universidade Federal do Rio Grande do norte, 1999. p.215-32. [ Links ]

    TORRES, M.M.; ANDRADE, D.; SANTOS, C.B. Punção venosa periférica: avaliação de desempenho dos profissionais de enfermagem. Rev. Latino-Am. Enferm., v.3, n.13, p.299-304, 2005. [ Links ]

    VIANA, A.S. d'Á. et al. (Orgs.). Recursos humanos na atenção básica, estratégias de qualificação e Pólos de Educação Permanente no Estado de São Paulo. São Paulo: Centro de Estudos de Cultura Contemporânea/Consórcio Medicina USP, 2008. (Cadernos de Atenção Básica: estudos avaliativos, 4). [ Links ]